FETEERJ E SINPROS CONTRA O RETORNO PRECIPITADO ÀS AULAS

A Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no Estado RJ (FETEERJ) e os Sindicatos dos Professores (Sinpro) filiados reafirmam a posição contrária ao retorno às atividades presenciais nas instituições privadas e públicas de ensino, nesse momento em que a pandemia da covid 19 não se encontra controlada em nosso estado.

Nossa posição desde o estado de emergência em Saúde decretado pelo governador do Rio de Janeiro em março é que as atividades presenciais nas escolas e demais instituições de ensino só podem retornar quando a pandemia estiver controlada, sob aferição de órgãos de saúde com reconhecido saber científico.

A Feteerj e os Sindicatos dos Professores (Sinpros) defendem a saúde e a vida dos integrantes de toda a comunidade escolar: professoras(es), funcionárias(os), estudantes, pais e responsáveis. Nossa postura visa impedir o aumento do contágio e a propagação da doença.

Com isso, a Feteerj e os Sinpros se solidarizam com a greve pela vida que o Sinpro Rio e o Sinpro Macaé e Região e o Sepe-RJ (nosso coirmão da rede pública) vêm convocando contra a determinação dos respectivos prefeitos e governo do estado (no caso do Sepe) de retorno às aulas presenciais nesses municípios.

No solidarizamos, também, com a luta no município de Teresópolis, onde a situação se encontra judicializada, com o apoio do Sinpro Teresópolis, contra o retorno às aulas nesse momento.

O Sinpro Niterói e Região já notificou as instituições de ensino sobre os perigos para a comunidade escolar com o retorno apressado às aulas – o mesmo foi feito pelo Sinpro Rio e Sinpro Macaé.

O Sinpro Petrópolis, por sua vez, denunciou recentemente ao Conselho Municipal de Educação o fato de que academias de ginástica e mesmo residências particulares vêm sendo utilizadas para burlar a proibição de aulas presenciais naquele município.

O Sinpro Baixada está diariamente em contato com as autoridades municipais de educação e saúde, visando o cumprimento de protocolos de segurança e impedindo o retorno às aulas de forma precipitada.

O Sinpro Campos/São João da Barra e o Sinpro Norte e Noroeste Fluminense (SinproNNF) vêm contatando seus associados e demais professores para discutir a situação da pandemia. O SinproNNF também acaba de realizar uma pesquisa on-line com centenas de professores da região sobre os impactos da covid no dia-a-dia dos docentes. O resultado da pesquisa irá subsidiar a decisão da diretoria na questão do retorno às aulas

O Sinpro Friburgo está em campanha conjunta com o Sepe local contra o retorno às aulas

O Sinpro Lagos desde o início da pandemia se colocou à disposição da categoria para denunciar os estabelecimentos que não cumpriam a suspensão das aulas.

Inclusive, todos os Sindicatos dos Professores abriram nas redes sociais (whatsapp e face) canais diretos de contato com as professoras e professores; a federação e os Sinpros também realizaram duas lives conjuntas nas redes sociais, com cientistas da Fiocruz, para discutir a importância do isolamento social e da suspensão das aulas presenciais no combate à pandemia, tendo enorme repercussão, com milhares de espectadores.

Os Sinpros também estão discutindo com as suas bases a importância do cumprimento e renovação dos acordos coletivos, principalmente tendo em vista a pandemia e o risco de perda de direitos.

Dessa forma, a Feteerj e os Sindicatos dos Professores filiados estão fazendo todos os esforços para barrar o retorno às aulas presenciais de forma precipitada, colocando em risco a comunidade escolar.

Diretoria colegiada da Feteerj e diretorias dos Sinpros abaixo assinados:

Sindicato dos Professores da Baixada Fluminense

Sindicato dos Professores da Região dos Lagos

Sindicato dos Professores de Nova Friburgo

Sindicato dos Professores de Macaé e Região

Sindicato dos Professores do Norte e Noroeste Fluminense

Sindicato dos Professores de Campos e São João da Barra

Sindicato dos Professores de Niterói e Região

Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro

Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região

Sindicato dos Professores de Teresópolis