QUARTA – 18 DE AGOSTO: DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA A REFORMA ADMINISTRATIVA E PELOS DIREITOS DOS TRABALHADORES

A próxima quarta-feira, 18 de agosto, será um dia de luta marcado pela mobilização de várias categorias profissionais em todo o país em apoio à greve de servidores federais, estaduais e municipais, por emprego e direitos.

As Centrais Sindicais, nesse dia 18, estão convocando os trabalhadores e trabalhadoras a protestarem contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32, a da reforma Administrativa, que ataca os servidores e praticamente acaba com o serviço público no Brasil.

A PEC 32 acaba com a estabilidade dos servidores e, por isso, ameaça o funcionamento dos serviços públicos, em especial os que mais a população necessita, como saúde e educação. A reforma Administrativa, portanto, atinge todos os trabalhadores.

A Feteerj e os Sindicatos dos Professores (Sinpro) em todas as regiões do estado do Rio de Janeiro convocam os(as) docentes a participarem dos atos que serão realizados em inúmeras cidades do País. Os professores e as professoras, dia 18, também vão protestar contra a implantação do “novo ensino médio” e a “Base nacional comum curricular” – programas do governo federal que diminuem a carga curricular obrigatória, provocando desemprego na categoria, além de diminuir a qualidade do ensino e dificultar ainda mais o ingresso da população de baixa renda na universidade, aumentando as desigualdades.

Na capital, Rio de Janeiro, o ato unificado terá concentração às 16h, na Candelária, e caminhada até o Alerjão.

SITUAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL DO PAÍS É EXPLOSIVA

Um em cada três brasileiros e brasileiras ou está desempregado ou no desalento, porque desistiu de procurar um posto de trabalho e boa parte daqueles que têm algum emprego está na informalidade, precarizado, sem direitos – a inflação chegou, nos últimos 12 meses, a 9%. Com isso, o país tem, oficialmente, 15 milhões de desempregados – mais do que toda a cidade de São Paulo.

117 milhões de brasileiros – 55% da população – simplesmente não têm dinheiro nem condições de comer as três refeições diárias necessárias; dentro desse número gigantesco, em cinco anos subiu de 10 milhões para 19 milhões o número de brasileiros passando fome, sem nenhuma refeição.

Essa situação gravíssima, de caos social e econômico, não veio do nada. Trata-se da consequência da atuação do governo disfuncional de Bolsonaro/Guedes. Essa completa falta de políticas social e econômica trouxe outra consequência nefasta: os quase 600 mil mortos pelo covid, consequência direta da inexistência de uma política sanitária unificada e correta de combate ao vírus. Dessa forma, o Fora Bolsonaro é uma necessidade urgente e será uma das bandeiras do dia 18 de agosto.

A Feteerj e os Sindicatos dos Professores, com isso, convocam os professores e professoras e a sociedade em geral para participarem do Dia Nacional de Mobilização contra a PEC 32 e pelo Fora Bolsonaro.